segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Uma Estátua para Romildo Bolzan Jr.

O caminho da vitória inexoravelmente passa por inúmeras mãos.

A reunião de competências dedicadas a um fim comum realizam façanhas por vezes difíceis de se acreditar.

No desporto, especialmente nas modalidades coletivas, as forças harmonicamente direcionadas ao objetivo único, formando uma egrégora cujos atores encontram-se motivados pela vontade de vencer, conduzem ao topo.

Com  planejamento, cada qual em sua posição, cumprindo exatamente suas funções, almejando o sucesso alheio como seu próprio; superando dificuldades; transformando desafios em conquistas, enfim, fazendo a diferença, comprovadamente alcança-se o resultado almejado.

Assim é a realidade daqueles que lutam pelo sucesso!

Entretanto, não há sucesso sem um líder. Indispensável a condução de alguém capaz de agregar,  levar à unidade, concertar os talentos em direção ao clímax.

Felizmente o Grêmio tem Romildo Bolzan Jr.

Em primeiro lugar, da banda louca; um torcedor sem limites!

Depois, um gestor com firmes convicções nos princípios da responsabilidade financeira e de respeito a todos; fomentador do debate democrático, sincero e proativo!

A coragem em ousar com poucos recursos; em desafiar o status quo com suas vetustas ideias de que "sempre foi assim", mudando o jogo de lado com a destreza do Arthur, regem os tempos em que vivemos em nosso amado clube.

Não poderíamos deixar de homenagear esta figura sem cuja liderança provavelmente estaríamos ainda como figurantes no cenário do futebol mundial.

A sua humildade entusiasma a todos em sua volta, pois a grandeza não o faz mais sábio, mas faz contaminar sua convicção no destino vitorioso.

Foi logo após as eleições de 2014 que, emocionado, o Presidente Romildo pronunciou: "Seremos o maior clube brasileiro, sul-americano e mundial"

Presidente, após tão-somente três anos, falta apenas concretizar uma de suas profecias, pois, primeiro do ranking, pentacampeões da Copa do Brasil, tricampeões da Copa Libertadores já somos; já estás inscrito na história do Grêmio como um dos maiores Presidentes; que venha o mundial para fincarmos a sua estátua na história do imortal Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Nilton Renato Varella de Mello
Presidente
Associação Grêmio Unido

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Grêmio é TriCampeão da América


O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense sagrou-se tricampeão de futebol da América, na noite da última quarta-feira, 29, ao derrotar o Club Atlético Lanús, na cidade de Lanús, província de Buenos Aires, Argentina, com gols de Fernandinho e Luan.

Este resultado, conquistado no estádio La Fortaleza, combinado com a vitória de 1x0, da primeira partida, realizada na Arena do Grêmio, no dia 22 de novembro passado, deu ao Tricolor gaúcho o título até então ostentado por apenas dois clubes brasileiros: Santos e São Paulo.

Os mais de 5.000 gremistas que acompanharam o time à Argentina assistiram uma vitória consistente, de um excelente futebol, tido pela imprensa brasileira como o melhor do país neste momento e foram testemunhas de um epílogo vitorioso, de um planejamento que iniciou em março deste ano, que priorizou a conquista do sonho do tri da Taça Libertadores.

Agora é comemorar e logo em seguida fazer as malas para Abu Dabi, onde o Grêmio disputa, a partir de 12 de dezembro, sua terceira participação no campeonato mundial de clubes, em busca do bicampeonato.

Assessoria de Imprensa
Associação Grêmio Unido



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Presidente Romildo participa de reunião ordinária do GU


O presidente do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense e associado do Grêmio Unido, Romildo Bolzan Jr., participou da reunião ordinária da associação, na última segunda-feira, 13, na Sociedade Libanesa de Porto Alegre, onde estiveram mais de 70 associados.

A pauta, comandada pelo presidente Nilton Mello, girava em torno de questões administrativas do Grêmio Unido, mas a presença do presidente do Grêmio acrescentou o tema futebol e outras conquistas que o clube vem obtendo nas áreas de gestão e financeira.

A palavra presidencial, serena, equilibrada, mas confiante na qualidade e experiência do plantel e comissão técnica, para buscar mais um título expressivo para a sala de troféus tricolor, deixou os associados do GU seguros e também confiantes, num resultado positivo, na disputa das finais da Taça Libertadores da América.

À reunião do GU compareceram também os associados Sergei Costa e Marco Bobsin, respectivamente vice-presidente e chefe de gabinete da presidência do Grêmio, além dos vices-presidentes da Associação Grêmio Unido, Zilmar Moussalle e José Cássio Soares Rodrigues e integrantes do Núcleo Serra Gaúcha do GU.

Coordenação de Comunicação
Associação Grêmio Unido
Fotos: Julio Menezes
MAIS FOTOS

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Ex-CEO do Grêmio palestra em reunião ordinária do GU

Na última segunda-feira, 16, a Associação Grêmio Unido teve seu encontro mensal, em Porto Alegre, para ouvir palestra do ex-CEO do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, Gustavo Zanchi, além da pauta do dia, que abordou diversos assuntos do interesse do GU e do Grêmio FBPA.

Estiveram presentes mais de meia centena de associados e alguns convidados, que foram brindados pela excelente palestra de Zanchi, que ressaltou a importância das ações do Conselho de Administração do Grêmio, a partir da gestão Romildo Bolzan Jr., que organizou e modernizou a vida administrativa e financeira do clube.

Por motivos de ordem profissional, Gustavo Zanchi deixou o cargo de CEO do Grêmio, mas foi convidado e aceitou continuar participando das reuniões do Conselho de Administração do clube, agora na condição de assessor do CA Gremista.


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Passo certo na bebida


O Rio Grande sempre se orgulhou por ser vanguarda. No entanto, hoje é único Estado dentre os de maior importância que mantém uma legislação proibindo o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol e ginásios esportivos. Em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Bahia, e recentemente o Paraná, já vigora a norma permissiva.

O fato não é somente porque os outros liberaram, mas, sim, o motivo da adoção de tal medida. Da ótica jurídica, nossa lei é inconstitucional e discriminatória, porque obstrui pontualmente os estádios de futebol e ginásios, como se todos os frequentadores fossem criminosos violentos e vândalos a serem dominados pelo aparato estatal. Como se a realização de outros espetáculos nos mesmos lugares não gerasse eventuais conflitos e situações de violência. Ademais, a norma estadual usurpou competência exclusiva do Município (art. 30, I) para legislar sobre a matéria.

Quanto à sua operacionalidade, chega a ser um pouco surrealista. Por hipótese, um baile em ginásio com lotação máxima e bebida à vontade pode ser totalmente alterado se, em determinado momento, alguém puxar um apito e resolver fazer uma partida de futebol. Os bêbados devem ser alocados nas arquibancadas, e a canha, suspensa.

Ironias à parte, o que importa em cada lei é sua finalidade e o atingimento dos objetivos propostos.
No caso das bebidas em estádios de futebol, resta evidente que a intenção das várias normas que pipocaram no país inteiro em 2008 era justamente reduzir a violência até então alarmante. Contudo, o resultado foi exatamente o oposto. Dados da Universidade do Rio de Janeiro apontam um crescimento espantoso do número de mortes em conflitos com o futebol. Na década anterior à entrada em vigor da lei (1999 a 2008) foram 42 mortes, média de 4,2 por ano. De 2009 ate julho de 2017, já estão contabilizadas 144 mortes. Mais do que o triplo. Em menos de nove anos, média de 16 ao ano.

Assim, verifica-se claramente que a violência não tem relação direta com a bebida consumida na arquibancada.

A quase totalidade das mortes ocorreu fora dos estádios. No entorno, a bebida rola solta para compensar a ausência dela durante a partida. E são bebidas pesadas, de alto teor alcoólico. A civilidade não se dá com a mera proibição, mas com educação e preparo. A liberação colocaria o Rio Grande do Sul no passo certo da questão.

Gladimir Chiele
Advogado, Associado do GU e Conselheiro do Grêmio FBPA
Artigo publicado na edição de 13/10/2017, páginas 34 e 35, do jornal Zero Hora, de Porto Alegre, RS.


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Arthur não é fruto de uma safra, mas de um sistema

Dionathã, Patrick e Jean Pierre - Foto GauchaZH
A convocação do volante Arthur para a Seleção Brasileira, que disputa as Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, é uma espécie de selo de qualidade concedido à base do Grêmio, que nos últimos tempos vem fornecendo atletas e profissionais do futebol, ao time de cima do clube e também a seleções brasileiras, em diversas categorias.

Assim foi na Olimpíada de 2016, quando da conquista da medalha de ouro pelo time brasileiro de futebol, com participação decisiva de dois jogadores formados aqui – Luan e Walace  – e se estende ao atual, com a participação do volante Arthur e de Rogerinho, profissional de preparação física formado no complexo da Escola e das categorias de base.

Não foi diferente na conquista da Copa do Brasil, no final de 2016, quando metade do plantel era de jogadores formados pelo clube, como Marcelo Grohe, Everton, Pedro Rocha e Luan, atletas decisivos na conquista do título, que tirou o Grêmio da fila de 15 anos por um título nacional.

Em 2017, o propalado "melhor futebol brasileiro" passou pelos pés destes meninos. Na segunda metade do ano, após a desclassificação da Copa do Brasil e algumas derrotas no Brasileirão, quando as virtudes do time pareciam desmoronar após a venda de Pedro Rocha e da lesão de Luan, surgem duas figurinhas premiadas, de futebol diferente, criativo, consistente e audacioso: Patrick e Jean Pyerre, dois atletas formados pela Escola de Futebol do Grêmio. É a sistematização do processo que gera tantos bons jogadores.

Ao assumir a presidência do Grêmio, em 2015, Romildo Bolzan fez uma limpa no plantel, de grandes e caros jogadores, e justificou com a necessidade de ajustar as finanças do clube. Ao mesmo tempo, alertou que nascia uma aposta séria na base, não somente por economia, mas para dar sequência, condições e incentivo a um processo de valorização da prata da casa. Ele tinha conhecimento do trabalho lá realizado e de onde ela poderia chegar, pois passara os dois anos anteriores como vice-presidente em contato com as categorias de base.

Para melhorar esta situação, só alterando a legislação, que favorece desproporcionalmente os atletas, em detrimento dos clubes, gerando insegurança nos investimentos do clube.

Taddeu Vargas
Jornalista e Assessor de Imprensa da Escola de Futebol do Grêmio
Artigo publicado na edição de 10/10/2017, no jornal Zero Hora, de Porto Alegre, RS


domingo, 8 de outubro de 2017

Grêmio Unido promove ação com o IGT, para lembrar dia da criança


A  Associação Grêmio Unido, na manhã do último sábado, 07, justificou sua história, seus objetivos, e expôs seu DNA de instituição que nasceu voltada às ações de responsabilidade social, ao promover, em conjunto com o Instituto Geração Tricolor (IGT), um dia diferente, alegre e solidário, numa ação dirigida às crianças da instituição, tendo como propósito o entretenimento dos pequenos assistidos pelo braço social (IGT) do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, para comemorar o dia da criança.

O evento contou com a apresentação de um show do Planet Circus Espetacular, com exibição de palhaços malabaristas, mágicos, personagens infantis, como Peppa Pig Miraculous e as aventuras de Laydbag e Cat Noir, além da distribuição de maçãs do amor, algodão doce e refrigerante para cerca de sessenta (60) crianças.

O vice-presidente do Grêmio Unido, Zilmar Moussalle - acompanhado da esposa, Vanda Moussalle, representou a associação no evento, que teve também a participação do conselheiro do Grêmio e diretor do IGT, Alexandre Aguiar e de Suzana Foernges, Coordenadora Administrativa do IGT.

Assessoria de Imprensa
Associação Grêmio Unido


Mais fotos
Trabalhos realizados pelas crianças assistidas pelo IGT
Trabalhos realizados pelas crianças assistidas pelo IGT
A festa estava muito animada
Alexandre Aguiar (E), Suzana Foernges, Zilmar Moussalle e Vanda Moussalle